Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/08/21 às 16h59 - Atualizado em 31/08/21 às 16h58

Desemprego no DF é menor que antes da pandemia

COMPARTILHAR

DF com desemprego menor do que antes da pandemia

Pelo terceiro mês consecutivo, economia local reage com contratações. Índice passou de 19,2% para 18,2% em um ano

O Governo do Distrito Federal (GDF) está no caminho certo dentro da política de promoção do emprego e renda. A constatação vem da Pesquisa de Emprego e Desemprego no Distrito Federal (PED-DF), realizada pela Codeplan e Dieese, e apresentada nesta manhã de terça (31). De acordo com os estudos a taxa de desemprego total diminuiu de 19,2% para 18,2%, entre julho de 2020 e de 2021. O índice é o menor registrado na região mesmo antes da pandemia do novo coronavírus.

 

“Os dados dos últimos meses são positivos em função de medidas da gestão pública em prol da geração de emprego e renda no DF. Podemos perceber que foi alcançado em julho o maior contingente de trabalhadores ocupados desde janeiro de 2019”, precisou o presidente da Codeplan, Jean Lima, durante live de apresentação da pesquisa.

 

“A recuperação de setores importantes da nossa economia, como a construção civil e o setor de serviços, e até mesmo a administração pública são responsáveis por essa melhora”, precisou. Segundo Lima, os pesquisadores são convictos em afirmar que a melhora dos dados “são resultados de políticas públicas pelo reaquecimento da economia na geração de emprego e renda”.

 

A melhoria é apontada com crescimento vertiginoso nas taxas de ocupações. No período de um ano, o contingente de desempregados diminuiu como resultado do acréscimo de pelo menos mais 19 mil postos de trabalho.

 

A economista Lúcia Garcia, técnica do Dieese, que também participou da apresentação da PED, afirmou que é notável uma reação da economia local após a pandemia. “Em julho, o mercado de trabalho do DF consolidou um movimento de melhoria esboçado desde maio, mas com mais vigor. A taxa de desemprego caiu a patamares do final do ano passado”, avaliou.

 

Segundo ela, o que vem determinando a recuperação, após um ano de covid, é a reação da ocupação. “A geração de oportunidades de trabalho vem sendo suficiente para absorver quem voltou a procurar trabalho e ainda diminuir a fila do desemprego”, precisou.

 

O secretário de Trabalho, Thales Mendes, está otimista. “A diminuição na taxa de desempregados é uma realidade cotidiana que vivemos na Secretaria de Trabalho. Todos os dias ofertamos mais de 200 vagas de emprego e a tendência é aumentar. Percebemos que, durante a pandemia, houve uma readaptação no mercado em geral, como home-office, sistemas de entrega delivery, inclusão de novas tecnologias, como novos aplicativos de vendas, e isso estabilizou a empregabilidade. Agora, com o avanço da vacinação, o mercado tende a crescer contratando mais, melhorando a economia local, por isso voltamos ao patamar de antes da pandemia”, comemorou.

 

No último mês, as ocupações tiveram um aumento de 1,4%, com estimativa de ocupados em cerca de 1,6 milhão de pessoas. Esse crescimento foi observado com destaque na construção, no comércio e reparação, nos serviços e, em menor intensidade, na indústria de transformação. Outra forma de inserção, que também merece destaque é o emprego doméstico, trabalho autônomo, o assalariamento privado com e sem carteira de trabalho assinada.

 

Área Metropolitana de Brasília

 

Taxa de desemprego diminui em relação a maio de 2020

Na região metropolitana a taxa de Desemprego Total diminuiu, ao passar de 22,7% para 21,8% da População Economicamente Ativa (PEA), entre junho e julho de 2021. No mesmo período, observou-se aumento do nível de ocupação, o que resultou em decréscimo do contingente desempregado.

Em julho de 2021, 140 mil pessoas estavam desempregadas na Periferia Metropolitana de Brasília, 4,1% a menos que no mês de junho. O decréscimo do contingente de desempregados resultou do aumento no nível de ocupação (1,0% postos de trabalho) e da oscilação negativa de PEA (-0,2% pessoas a menos no mercado de trabalho).

 

*AGÊNCIA BRASÍLIA – Com informações da Codeplan