Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/02/15 às 19h38 - Atualizado em 29/10/18 às 10h45

PED – Dezembro de 2014

COMPARTILHAR

DESEMPREGO DIMINUI NO DISTRITO FEDERAL

1.  De  acordo com a  Pesquisa  de Emprego e Desemprego  –  PED,  a  taxa de
desemprego total  no Distrito Federal recuou de 12,2%, em novembro, para 11,7%,
em dezembro. Segundo  as suas componentes, a taxa de desemprego aberto
permaneceu relativamente estável,  ao oscilar de 8,9% para 8,8%,  enquanto a taxa
de desemprego oculto passou de 3,3% para 3,0%

2. Em dezembro, estimou-se em 177 mil pessoas o contingente de desempregados
no Distrito Federal, 6 mil a menos do que o verificado no mês anterior. Este
comportamento foi  resultado da criação de novas ocupações (15 mil) em ritmo
superior ao  incremento da População Economicamente Ativa (8 mil) (Tabela 1). A
taxa de participação, por sua vez, variou de 61,3% para 61,5%.

Estimativas do Número de Pessoas de 10 Anos e Mais, segundo Condição de Atividade
Distrito Federal
Novembro e Dezembro de 2014
Novembro Dezembro Dez/Nov. 2014 Dez/Nov. 2014
População em Idade Ativa 2.453 2.458 5 0,2
População Economicamente Ativa 1.503 1.511 8 0,5
Ocupados 1.319 1.334 15 1,1
Desempregados 183 177 -6 -3,3
Em Desemprego Aberto 134 132 -2 -1,5
Em Desemprego Oculto Total 49 45 -4 -8,2
Em Desemprego Oculto pelo Trabalho Precário 29 28 -1 -3,4
Em Desemprego Oculto pelo Desalento 20 17 -3 -15,0
Inativos com 10 Anos e Mais 950 947 -3 -0,3

3.  A  análise das taxas de  desemprego por  grupos de  regiões  administrativas  e
ordenadas segundo nível de renda,  indica  que o Grupo 3, que reúne as regiões de
renda mais baixa,  foi o único  que registrou  diminuição  (de 15,8% para 14,7%),  entre
novembro e dezembro de 2014. Os grupos de regiões de renda mais elevada e de
renda intermediária  –  Grupos 1 e 2, respectivamente  –  assinalaram uma relativa
estabilidade  na taxa de desemprego, no período: de 5,3% para 5,4%  e  de
8,8% para 8,9%

4.  No mês em  análise, o  número de trabalhadores ocupados no Distrito Federal  foi
estimado em  1.334 mil pessoas, um  crescimento  de 1,1%  em relação a novembro.
De acordo com os setores de atividade econômica  analisados,  houve expansão das
ocupações  na Indústria de Transformação (4,1% ou 2 mil) e nos Serviços (1,2% ou
11 mil), que  não registrou variação no subsetor Administração Pública, Defesa e
Seguridade Social.  Houve relativa estabilidade na Construção (1,2% ou 1 mil)  e no
Comércio e Reparação de Veículos Automotores  e Motocicletas  (0,4% ou 1 mil).

5.  O  número de trabalhadores assalariados aumentou em  dezembro
comparativamente  ao mês anterior  (0,9% ou 9 mil). Tal aumento resultou da
ampliação do  emprego  no setor privado (1,9% ou 13 mil), uma vez que o setor
público assinalou um decréscimo em seu contingente de trabalhadores (1,7% ou 5
mil).  No setor privado,  houve  crescimento dos postos de trabalho com carteira
assinada (2,2% ou 13 mil) e estabilidade entre os sem carteira. O trabalho autônomo
(1,9% ou 3 mil) e o emprego doméstico (2,5% ou 2 mil) apresentaram aumento   e o
agregado demais posições  manteve-se relativamente estável  (1,0% ou 1 mil).
5  PED-DF
6.  Entre outubro e novembro,  o  rendimento  médio real  dos ocupados  diminuiu  -1,0% (de R$ 2.608 para R$ 2.581) e o dos assalariados -1,1% (de R$ 2.751 para R$ 2.720) .
6  PED-DF
7  PED-DF

PRINCIPAIS CONCEITOS

PIA – POPULAÇÃO EM IDADE ATIVA: corresponde à população com dez anos ou mais.
PEA – POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA: parcela da PIA ocupada ou desempregada.
OCUPADOS – são os indivíduos que:
a) possuem trabalho remunerado exercido regularmente;
b) possuem trabalho remunerado exercido de forma irregular, desde que não estejam procurando trabalho diferente do
atual. Excluem- se as pessoas que, não tendo procurado trabalho, exerceram de forma excepcional algum trabalho nos últimos
30 dias;
c) possuem trabalho não remunerado de ajuda em negócios de parentes, ou remunerado em espécie ou benefício,
sem procura de trabalho.
DESEMPREGADOS – são os indivíduos que se encontram numa das seguintes situações:
a) DESEMPREGO ABERTO – pessoas que procuraram trabalho de modo efetivo nos 30 dias anteriores ao da entrevista e não
exerceram nenhum trabalho nos últimos sete dias;
b)  DESEMPREGO OCULTO  –  Pelo trabalho precário: pessoas que realizam de forma irregular algum trabalho remunerado
(ou pessoas que realizam trabalho não remunerado em ajuda a negócios de parentes) e que procuraram mudar   de trabalho
nos 30 dias anteriores ao da entrevista, ou que, não tendo procurado neste período, o fizeram até 12 meses atrás;  Pelo
desalento: pessoas que não possuem trabalho e nem procuraram nos últimos 30 dias, por desestímulos do mercado de
trabalho ou por circunstâncias fortuitas, mas procuraram efetivamente trabalho nos últimos 12 meses.
INATIVOS (menores de 10 anos) – correspondem à parcela da PIA que não está ocupada ou desempregada.
RENDIMENTOS DO TRABALHO  –  corresponde ao rendimento monetário bruto (sem descontos de imposto de renda e
previdência), efetivamente recebido, referente ao trabalho no mês imediatamente anterior ao da pesquisa. Para os
assalariados, são considerados os descontos por falta, ou acréscimos devido há horas extras, gratificações, etc. Não são
computados o décimo terceiro salário e os benefícios indiretos. Para os empregadores, autônomos e demais posições, é
considerada a retirada mensal.

PRINCIPAIS INDICADORES

TAXA GLOBAL DE PARTICIPAÇÃO  –  é a relação  entre a População Economicamente Ativa e a População em Idade Ativa
(PEA/PIA). Indica a proporção de pessoas com dez anos ou mais incorporadas ao mercado de trabalho, como ocupados ou
desempregados.

TAXA DE DESEMPREGO TOTAL  –  equivale à relação entre Desempregados e População Economicamente Ativa. Indica a
proporção da PEA que se encontra na situação de desemprego aberto ou oculto.
As taxas de desemprego, ocupação e participação de acordo com atributos das pessoas (sexo, cor, idade, posição no
domicílio), são calculadas como proporção do grupo de indivíduos com o mesmo atributo na PIA ou na PEA.
RENDIMENTO MÉDIO: refere-se à média trimestral do rendimento mensal real no trabalho principal. A média trimestral é
calculada a partir de valores nominais mensais, inflacionados pelo INPC/DF-IBGE, até o último mês do trimestre. Os dados de
rendimento, investigados em cada mês, referem-se ao mês imediatamente anterior ao da coleta e, portanto, têm sempre esta
defasagem em relação às demais informações da pesquisa.

NOTAS METODOLÓGICAS

ÁREA DE ABRANGÊNCIA  –  A PED-DF  tem como unidade amostral o domicílio das áreas urbanas das 19 Regiões
Administrativas do Distrito Federal. As informações obtidas são agrupadas da seguinte forma:
Grupo 1 – Brasília, Lago Sul e Lago Norte (Grupo de renda mais alta).
Grupo 2 –  Gama, Taguatinga, Sobradinho, Planaltina, Núcleo Bandeirante, Guará, Cruzeiro, Candangolândia e Riacho Fundo
(Grupo de renda intermediária).
Grupo 3  –  Brazilândia, Ceilândia, Samambaia, Paranoá, São Sebastião, Santa Maria e Recanto das Emas. (Grupo de renda
mais baixa).
Negros – compreendem pretos e pardos
Não Negros – amarelos e brancos
Setor de Atividade
Indústria de transformação – Seção C da CNAE 2.0 domiciliar
Construção – Seção F da CNAE 2.0 domiciliar.
Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas – Seção G da CNAE 2.0 domiciliar.
Serviços – (7) Seções H a T da CNAE 2.0 domiciliar.
8  PED-DF
PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL – PED-DF
Metodologia
Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados – SEADE
Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE
Convênio Regional
Secretaria de Estado de Trabalho do Distrito Federal – SETRAB-DF
Companhia de Planejamento do Distrito Federal – CODEPLAN