Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/08/17 às 14h02 - Atualizado em 29/10/18 às 10h45

DF ganha Centro de Economia Popular e Solidária

COMPARTILHAR

Espaço foi inaugurado nesta quinta-feira (31) pelo governador Rodrigo Rollemberg e funcionará de segunda a sexta-feira, das 9 horas ao meio-dia e das 14 às 18 horas

SAMIRA PÁDUA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA


Foi inaugurado nesta quinta-feira (31) o Centro de Economia Popular e Solidária. A unidade fica na antiga Galeria do Trabalhador, ao lado do shopping Conjunto Nacional, e funcionará de segunda a sexta-feira, das 9 horas ao meio-dia e das 14 às 18 horas.

O local contribuirá para integrar o segmento, potencializar o crescimento da economia solidária como alternativa social e econômica e fazer o Cadastro Nacional de Empreendimentos Econômicos Solidários e Comércio Justo (Cadsol).

Interessados também poderão ir até a unidade para ter orientação e mais informações sobre o assunto.

“Em um momento de crise econômica como este, milhares de pessoas sobrevivem da economia solidária. Ter um centro de formação e de comercialização desses produtos vai contribuir para produzir renda e criar empregos”, disse o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

“Em um momento de crise econômica como este, milhares de pessoas sobrevivem da economia solidária. Ter um centro de formação e de comercialização desses produtos vai contribuir para produzir renda e criar empregos”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

O espaço — primeiro desse tipo no DF — é de responsabilidade da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direito Humanos.

Na cerimônia desta manhã, o chefe do Executivo local também assinou decreto que institui o Conselho Distrital de Economia Popular e Solidária do DF — órgão colegiado de caráter consultivo e deliberativo vinculado à Secretaria do Trabalho.

A norma ainda transfere as atribuições da economia solidária, previstas na Lei nº 4.899, de 2012, à pasta.

O governador ressaltou algumas outras ações do governo de estímulo à economia solidária, como:

  • Contratar quatro cooperativas de catadores de materiais recicláveis para fazer a coleta seletiva em quatro regiões administrativas
  • Pagar por tonelada de lixo separado para cadastrados nessas entidades
  • Promover programas de qualificação profissional na Fábrica Social

Outra função do centro será, por meio de feiras, servir de espaço de incentivo e apoio à comercialização dos produtos feitos pelos empreendimentos econômicos solidários.

Um exemplo é o Circuito Ecosol, cujo calendário de atividades para os próximos quatro meses está definido. O evento ocorrerá em 14 e 15 de setembro; 9 e 10 de outubro; 9 e 10 de novembro; e 7, 8, 14, 15, 21 e 22 de dezembro.

Fonte: Agência Brasília