Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/08/19 às 11h09 - Atualizado em 29/08/19 às 13h51

Desfile de criatividade apresenta talentos da Fábrica Social

COMPARTILHAR

RENATA MOURA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

 

A Secretaria do Trabalho (Setrab) vai promover um desfile para mostrar os trabalhos de 62 alunos que se formam no curso de confecção de vestuário, acessórios e material esportivo da Fábrica Social. Durante o evento, que acontece na quarta-feira (28), a partir das 15h, no Instituto Federal de Brasília (unidade do SCIA), serão apresentados modelos especialmente elaborados pelos estudantes, como uma espécie de portfólio de criatividade e capacitação.

“Na verdade, é a formatura deles”, explica a coordenadora pedagógica da Fábrica Social, Denise Machado.  “O desfile veio para valorizar o trabalho produzido por nossos alunos e mostrar a evolução deles no processo criativo”. Na lista de convidados, ela conta, há influenciadores da moda, representantes do setor produtivo e empresários do ramo da confecção. “Estamos chamando sindicatos, empresários, políticos… Nossa ideia é mostrar a qualidade e capacidade deles para o mercado.”

Turma dedicada

Maria Ilma Vieira, de 51 anos, é uma das formandas. Empolgada com o desfile, vai colocar a filha e a neta para apresentarem a produção de bolsas com estampas de oncinha. “Estou seguindo a tendência”, brinca, com a bolsa a tiracolo. Ilma diz que está planejando juntar-se com algumas amigas da Fábrica Social para empreender no campo dos acessórios. “Já fiz bolsas para todos da família; agora, é a hora de começar a fazer para vender”, conclui.

Criatividade em alta

Segundo o modelista Sávio Farias, um dos instrutores da Fábrica Social, é de “total autoria dos alunos” a seleção de roupas do desfile de formatura. “Apenas orientamos a execução”, resume. “Muitos alunos, até mesmo pela falta de recursos financeiros, optaram por looks que reaproveitam matéria-prima”. A tendência da reciclagem, aponta ele, ganhou força. Entre as peças de destaque, serão mostrados vestidos feitos com lona publicitária e outros confeccionados a partir de blusas e saias usadas.

O estímulo à criatividade não parou por aí. Haverá alunos apresentando modelos que combinam tecidos mais pesados com leves. É o caso de uma das quatro peças que o estudante Breno da Silva, de 19 anos, vai mostrar. “Estou terminando um casaco de moleton azul que terá um capuz forrado com um tecido tipo toque-de-seda”, conta. “Vou desfilar com uma bermuda no mesmo tom do forro. É ousado, mas ficará muito bonito”.

O jovem faz parte de um grupo seleto de cinco homens que vão se formar no curso de confecção de vestuário da Fábrica Social. “Eu nem imaginava o quanto seria transformado aqui”, avalia Breno, que diz ter ingressado no curso por insistência da mãe e, agora, não se vê exercendo outra profissão. “Abri meus olhos para o mundo. Vou lutar para fazer a faculdade de moda e, depois, quero abrir minha própria loja”.