Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/03/15 às 20h45 - Atualizado em 29/10/18 às 10h45

Ato discute geração de emprego e renda na Penitenciária Feminina do Gama

COMPARTILHAR

Ato sobre Empoderamento Feminino reuniu mais de 50 mulheres privadas de liberdade para ouvir dicas de empreendedorismo e cooperativismo, na tarde de hoje (9), na Penitenciária Feminina do Gama. O evento marcou o Dia Internacional da Mulher e foi realizado pela Secretaria do Trabalho e do Empreendedorismo, por meio da Subsecretaria de Empreendedorismo, que tem à frente Thiago Jarjour.

Logo no início do evento, os representantes da Secretaria do Trabalho disseram que o governo está à disposição e que dará o apoio e a capacitação para quem quiser criar seu próprio negócio individual ou coletivo.

A empresária Déb Xavier, idealizadora do Jogo de Damas e embaixadora brasileira da ONU para o Empreendedorismo Feminino, afirmou que é preciso sonhar e acreditar, pois o empreendedorismo dá poder à mulher para gerar emprego e renda e para superar o estígma de mercado contra ex-detentas. Ela citou bons exemplos no Rio grande do Sul, como o Crédito Lilás e, que têm dinheiro para o cooperativismo e microempreendedores, mas baixa procura. Acreditem, reafirmou, olhem para dentro de si e descubram as qualidades. E peçam ajuda ao site Mulheres Conectadas, finalizou.

Remy Gorga, superintendente da Organização das Cooperativas do DF, historiou o cooperativismo no mundo e disse que o setor tem uma receita de mais de US$ 3 trilhões por ano, representando uma das principais economias do planeta, com mais de 2,6 milhões de cooperativas e mais de 12,6 milhões de empregados. Ele convocou as mulheres a aderir ao setor com confiança e prometeu apoio do organismo.

Por meio de um testemunho emotivo, Fernando de Figueiredo, presidente da Cooperativa Sonho de Liberdade, lembrou período de aprendizado na Funap e CPP, em cursos que lhe deram a base para hoje empregar mais de cem pessoas na cooperativa que dirige situada na Cidade Estrutural. Ele disse que emprega somente pessoas em aberto, semiaberto ou domiciliar, com o objetivo de recuperar homens e mulheres que buscam outro tipo de vida sem drogas e ilegalidades.

O evento foi reforçado com a participação da primeira-dama Márcia Rollemberg, da subsecretária de Economia Criativa, Karina Rosso, do vice-presidente da Anabb – Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil, Douglas Scortegagna, e de representantes do Instituto Viva Cidadania, Mônica Licassali e Magela Carvalho.

Mônica anunciou que acertou com a diretora do presídio Deuselita Ribeiro Martins a realização de cinco cursos para as interessadas, com 175 vagas nas áreas de Chefe de Cozinha, Cabelereiro, Manicure, Serigrafia e Costura, com possíveis módulos para quem já saiu da prisão.

Márcia Rollemberg lembrou o início de sua vida profissional ao ressaltar que trabalhou muito tempo no Gama e que conhece com profundidade as carências do setor, pois já redigiu cartilha sobre o cooperativismo, e se colocou à disposição de quem quiser se capacitar para ingressar em alguma cooperativa ou montar a própria.

As representantes das mulheres elogiaram o evento e aguardam novos encontros com os membros do GDF.  Ao final, Karina Rosso prometeu trabalhar em conjunto com Thiago Jarjour para beneficiar a geração de emprego e renda feminina por meio de política pública de estado.

foto